Bancarrota

A bancarrota é o resultado de um cenário de incumprimento de obrigações patrimoniais por parte de uma empresa, que desse modo acaba por ver-se obrigada a submeter-se a um processo judicial de arrecadação dos bens requeridos ao pagamento de uma ou mais dívidas. Através da declaração de bancarrota por parte do devedor, o credor vê, muitas vezes, a possibilidade de receber, total ou parcialmente, aquilo que lhe é devido, sendo por isso esta a medida a ser tomada por todas aquelas entidades que se encontrem em situação de incumprimento, e não tenham em sua posse o capital necessário à liquidação das suas dívidas.

bancarrota

A bancarrota não representa só um meio de deixar todos os credores satisfeitos através da liquidação de parte ou totalidade das dívidas, mas também uma forma de saneamento empresarial que visa remover do activo empresas que, por culpa do seu estatuto de incumprimento, se encontrem em posição de causar prejuízos a todo o meio social, afectando assim, não só relações empresariais, como também a circulação de riquezas. Não só uma protecção contra o crédito individual do credor, esta medida poderá, também, revelar-se como uma protecção contra o crédito público, o que constitui uma grande ajuda na protecção e desenvolvimento da economia nacional.

bancarrota1O objectivo primordial de uma empresa é sempre o lucro. Para que esse lucro seja atingido, quase sempre é necessário recorrer-se a ajudas externas que possibilitem, através da disponibilização de crédito, a aquisição dos meios necessários à obtenção do capital próprio requerido para a conclusão dos objectivos traçados pela empresa. A partir do momento em que uma empresa deixa de se revelar em condições de liquidar as suas próprias dívidas, a possibilidade de declaração de bancarrota é colocada em cima da mesa, e quase sempre adoptada como a única saída legal possível.

 

Infelizmente, uma grande percentagem das empresas declara bancarrota nos primeiros anos de actividade. Na verdade, na sua  totalidade, a esmagadora maioria das empresas acaba por nunca chegar a atingir os fins pretendidos, fazendo assim com que acabem por fechar as suas portas logo após os primeiros anos de existência. Inúmeros são os factores que poderão contribuir para que uma empresa se veja na bancarrota, mas um mau planeamento do negócio e uma gestão financeira irresponsável são duas das principais razões que fazem com que tantas empresas nunca cheguem a atingir os seus objectivos primordiais.

 

Joana Esteves

Paixão pela internet e finanças pessoais . Autora de vários artigos no site Aprender a Poupar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

error: O conteúdo está protegido !!