Que formas existem de combater o sobreendividamento?

Seja para comprar um carro, investir em formação pessoal ou até fazer uma viagem de sonho, a possibilidade de contrair em empréstimo rápida e facilmente é, para muitos, apelativa e, em certos casos, incontornável. É algo que se faz com frequência, mas não deve por isso ser menos pensado, sobretudo se não se trata da primeira vez.

sobreendividamento

Acumular créditos pode tornar-se num verdadeiro pesadelo e os números são alarmantes: apenas no primeiro semestre de 2016, 17.300 portugueses sobreendividados solicitaram apoio ao Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado da DECO (GAS).

Mas o que é, afinal, o sobreendividamento? É importante distingui-lo do multiendividamento, uma vez que o facto de ter contraído muitos empréstimos não representa, por si só, um problema.

O sobreendividamento surge quando, de repente, se dá conta de que o total daquilo que deve à entidade credora é superior ao rendimento mensal. Isto significa que não tem possibilidades de liquidar os empréstimos que tem e estes começam a acumular-se, mês após mês. No entanto, há algumas soluções a ter em conta perante uma situação destas.

Reorganize o seu orçamento

A forma mais intuitiva de gerir o sobreendividamento é manter um olhar atento sobre as despesas, não descurando o planeamento e evitando gastos desnecessários que, ao final do ano, acabam por pesar significativamente na carteira.

Em primeiro lugar, é imprescindível distinguir entre despesas fixas (eletricidade, água, renda da casa) e variáveis (aquela peça de roupa extra) e pagar logo as primeiras assim que recebe o ordenado.

Encare o problema de frente

Face a uma situação de sobreendividamento, deverá contactar imediatamente a sua instituição financeira para tentar renegociar o crédito. Este é o tipo de momentos em que adiar o inadiável irá apenas tornar a situação mais incomportável.

Cliente e banco deverão rever, por exemplo, os prazos de reembolso do financiamento ou as taxas que foram combinadas inicialmente. Desta forma, poderão encontrar uma solução que beneficie ambos e que esteja alinhada com aquilo que pode desembolsar por mês.

Recorra a um crédito consolidado

E se contraiu financiamento junto de várias entidades diferentes? É aí que a opção de crédito consolidado pode vir em seu socorro. O banco ao qual recorre irá reembolsar todos os seus empréstimos, agregando-os num só. Assim, o prazo e a taxa de juro definidos para o pagamento transformam-se em apenas um e a prestação mensal pode reduzir-se até 60%.

Ainda assim, é de salientar que não é preciso encontrar-se sobreendividado para consolidar os seus empréstimos.
Esta é também uma excelente alternativa para o caso de querer reorganizar o orçamento mensal, facilitando-lhe a gestão das suas finanças pessoais. Faça a sua simulação de crédito consolidado aqui para perceber em quanto poderá reduzir as suas prestações mensais.

Este artigo é da autoria da equipa do ComparaJá.pt, a plataforma gratuita de simulação e agregação de produtos financeiros de referência em Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *