Como lidar com as dívidas

Infelizmente nos dias de hoje é comum quase todas as famílias terem dívidas, e isto deve-se principalmente aos empréstimos contraídos nos anos anteriores, e que no presente são mais difíceis de pagar devido à detioração dos rendimentos dos agregados familiares.

dividas

Como é de conhecimento público os ordenados sofreram nos últimos anos sérios cortes e o desemprego atingiu milhares de famílias portuguesas, portanto facilmente qualquer pessoa pode ter dívidas de um dia para o outro, basta algo correr mal.

O que é a dívida

Se formos a ser corretos com a definição, basta pedir um crédito (por exemplo habitação) e já está com uma dívida. Sim, porque deve dinheiro ao banco, que terá que reembolsar parceladamente durante vários anos.

Mas neste artigo vamos falar de dívida vencida, isto é, prestações bancárias ou outras que não foram pagas no prazo estipulado.

Como deve atuar perante dívidas vencidas

1 – Detetar antecipadamente que não tem condições para pagar a prestação e informar o credor de forma a chegarem a um acordo.

É mais fácil para o credor renegociar uma prestação do que seis ou sete, porque já envolve valores superiores, juros e uma taxa de esforço cada vez mais elevada para si.

É por isso que é extremamente importante nestes casos, avisar de imediato a entidade credora que não vai ter possibilidades de efetuar a prestação que se aproxima.

Muitas vezes existem seguros que cobrem determinadas situações, se subscreveu algum seguro na celebração do contrato de crédito, telefone ou dirija-se pessoalmente e verifique o que é necessário para o seguro ser acionado de forma a salvaguardar os seus interesses.

Nos dias de hoje as entidades bancárias tendo conhecimento que o cliente não tem condições para pagar as prestações, são obrigados a tomar medidas, nomeadamente o PARI (plano de ação para o risco de incumprimento) e o PERSI (procedimento extrajudicial de regularização de incumprimento) onde não sendo nada garantido a entidade em conjunto com o cliente pode chegar a um acordo que seja vantajoso para ambos para que o empréstimo seja pago sem incumprimentos futuros.

2- Consolidar os seus créditos mas sem dívida vencida, isto é, caso exista incumprimento bancário esta informação já estará nos registos do Banco de Portugal, onde todas as entidades bancárias têm acesso a esta informação, e nestes casos os bancos não consolidam créditos existindo prestações em incumprimento.

O crédito consolidado é bom, mas se agir com antecipação. Se verifica que as prestações dos seus créditos são pesadas mensalmente, faça pelo menos algumas simulações de quando pode poupar todos os meses de juntar todos os créditos num só, reduzindo assim a fatia mensal do seu orçamento que é para pagar as prestações dos créditos.

3- É importante mesmo com dívida vencida, que não deixe de cumprir com as futuras prestações, pois é comum assistir à falha de uma prestação ou duas e depois as pessoas desistirem de pagar tudo… isto é o maior erro!

Além de só o estar a prejudicar a si próprio com mais dívida vencida, juros etc.. mostra à entidade credora que não está a agir de boa fé nem interessado em resolver a situação, diminuindo assim para poucas hipóteses de renegociarem consigo.

Conclusão

arrastar dividas

Independentemente das causas é muito importante a transparência e a antecipação de uma solução ao problema e não ficar a arrastar algo que não pode resolver sozinho.

Neste sentido a primeira coisa a fazer caso veja que não pode pagar ou que falhou uma prestação é contactar a entidade credora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *