Poupar dinheiro a longo prazo

Sabemos a importância de guardar dinheiro, seja para sonhos, metas ou emergências mas, organizar-se para conseguir isso também é fundamental.

A primeira coisa é definir a sua meta financeira, as metas de curto prazo são aquelas que vão ser realizadas até 12 meses.

Enquanto as de médio prazo são realizadas entre 1 e 10 anos, as de longo prazo são realizadas em mais de 10 anos.

E é nelas que nos vamos focar. É considerada a mais difícil para muitas pessoas, afinal leva muito tempo, e podem acontecer muitas mudanças financeiras até lá.

Eliminar dívidas

Confira as nossas dicas.

Eliminar dívidas:

 Antes de começar a fazer planos o ideal é eliminar todas as dívidas possíveis, afinal, uma pessoa endividada terá mais dificuldade em guardar dinheiro.

 Meta:

 Você tem que ter muito claro uma meta definida. Isso é, porque você quer guardar esse dinheiro, e a quantia que será necessária. Meta definida, vamos para o próximo passo.

Valor:

A partir da sua meta financeira você precisa rever todas as suas finanças e decidir quanto vai poupar mensalmente. Uma dica é analisar todos os gastos e ver quais os que pode cortar e quais os que pode diminuir mensalmente.

Investimento:

Quando você decidir a quantia mensal, escolha onde colocar o dinheiro a render, além de garantir um extra ao final dos anos, não corre o risco de mexer no dinheiro antecipadamente (por isso escolha investimentos que não permitem que resgate o dinheiro a curto prazo ou quando quiser).

Para conhecer melhor o investimento que mais se adapte a si converse com o seu gerente, e veja as melhores taxas disponíveis.

Foco:

Os investimentos a longo prazo costumam ser mais difíceis porque muita gente tropeça pelo caminho, e acabam desviando-se do foco.

Para manter o foco é sempre importante ir na direção da meta, e revê-la.

Saber a importância da sua meta, e os benefícios que realiza-las vai trazer pode ser uma motivação para a manutenção do foco.

Evitar dívidas:

Quando o objetivo é poupar dinheiro temos que eliminar o máximo possível de contas fixas.

Então fuja do uso do cartão de crédito.

Se não tiver outra opção, analise se aquela dívida é mesmo necessária, veja se há formas de adiar para quando não puder comprar com o cartão de débito.

Comprar por impulso:

Lembre-se que tudo o que compra não importa o valor, deixa-o financeiramente mais longe da sua meta.

Claro, que há coisas necessárias, e não é saudável viver pensando somente em poupar, mas geralmente consumimos mais do que precisamos, isso acontece por vezes de forma impulsiva.

Um exemplo disso são as promoções, por vezes nem precisamos do produto, mas compramos por estar a um preço melhor.

Esse produto fica encostado em casa, e mesmo em promoção foi caro, pois não tem utilidade para si.

Pense antes de fazer as suas compras, faça sempre uma lista em casa e, se tem dúvidas não compre, pense melhor.

Viram que são os hábitos diários que nos fazem conquistar grandes coisas, correto?

O segredo é ter paciência e incorporar aos poucos na rotina novos hábitos financeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.