Endividamento aumenta crédito malparado

O crédito malparado está a aumentar cada vez mais estando neste momento acima dos 16 Milhões de euros em incumprimento. Os dados recentes mostram que além dos particulares nota-se um aumento preocupante por parte das empresas que estão cada vez mais sufocadas e sem margem para pagar à banca o que devem.

A percentagem do crédito malparado nos particulares situa-se nos 3,89% e é de salientar que é uma percentagem recorde que aliado ao crédito malparado das empresas dá que pensar em que direcção está o País a caminhar.

São cada vez mais endividados singulares e empresas que com os compromissos antigos vêm nestes últimos anos aumentado a dificuldade em cumprir com as obrigações bancárias de forma a não entrarem numa espiral de dívidas . No entanto por muita vontade que exista em cumprir com as responsabilidades perante a banca a deterioração dos rendimentos das famílias e a actual situação do País não ajuda e os números não são animadores para os próximos meses prevendo-se que o crédito malparado aumente ainda mais até porque o desemprego continua também a atingir percentagem recordes e com o agravante de milhares de casais não terem um único rendimento para sobreviver.

Novos cortes previstos pelo Governo

Os rumores dos novos cortes que o Governo quer implementar não vem de todo ajudar porque um dos alvos vai ser os subsídios da Segurança Social que pelo que se sabe tem sido de extrema importância para muitas famílias e caso os valores sejam cortados ou até retirados em alguns casos, é de adivinhar que a pobreza vai aumentar ainda mais.

 

Desemprego, Malparado e Pobreza

Tem sido três palavras que desde 2008 cada vez ouvimos mais e perante o cenário que é apresentado diariamente nada indica que a situação vai melhorar nos próximos meses ou até anos.

Era necessário mediadas drásticas e urgentes de forma a inverter esta situação que está a tornar-se insustentável e que do qual está trazer a miséria para muitas famílias e grande parte da classe média em Portugal está meramente a desaparecer, o que revela que vamos chegar ao ponto de só existir “meia dúzia ” de ricos e o resto do País em grande dificuldade para sobreviver.

Insolvências pessoais e de empresas continuam a aumentar

Apesar das novas medidas para ajudar empresas e singulares endividados as insolvências de pessoas singulares e insolvências de empresas não param de aumentar e assim vai continuar porque simplesmente muitas famílias não têm dinheiro quase para comer quanto mais para pagar os seus créditos.

Seria uma mais valia uma revisão no código de insolvência ( CIRE – Código de Insolvência e Recuperação de Empresas ) há semelhança de outros Países em que ao invés de 5 anos na exoneração do passivo restante , o processo é agilizado tendo prazos muito inferiores e alguns até imediatos sendo mais rápida a recuperação financeira da família.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.