Dicas para escolher crédito habitação

Conhecer o crédito habitação

Procurar um crédito habitação não é tarefa fácil, dado à enorme quantidade de bancos no mercado e às diferentes condições derivadas das características do contrato e da própria habitação. De um modo geral, existem algumas regras que devemos estipular antes de fecharmos qualquer contrato, porque são as melhores para poupar dinheiro no crédito habitação. Esteja atento às possíveis mudanças que podem ocorrer ao longo da sua vida futura, como divórcios, ir trabalhar para outra cidade ou país, ficar sem emprego, mais filhos, e faça uma escolha ponderada.

O aspecto mais importante num crédito habitação é o seu valor de TAE (Taxa Anual Efectiva), que lhe irá dizer o cálculo do valor total do empréstimo, passando por todas as características adjacentes a esse mesmo contrato, como o spread ou o Euribor. Tente optar sempre pelo banco que lhe oferece a TAE mais baixa, porque vai contar muito ao fim de alguns anos a pagar esse empréstimo. Esteja também atento às restantes taxas do banco que pretende escolher como financiador, vendo sempre quais são aqueles que oferecem menos obrigações.

Muitos desses bancos oferecem até algumas promoções com o subir da taxa de juro, por isso tome isso em consideração. O Euribor acaba por ser outra dor de cabeça no que toca ao crédito habitação, por isso verifique qual o método utilizado pelo seu banco e perceba se pode fazer um Euribor a 360 dias, poupando assim um pouco mais de dinheiro no final do ano. Lembre-se sempre de pedir auxílio nos bancos para o ajudarem a calcular a sua taxa de esforço, quando pode pagar mensalmente para liquidar o empréstimo, e lembre-se que é preferível pagar pouco de cada vez, porque nunca se sabe como estará a nossa condição financeira no futuro. Para calcular essa taxa de esforço, deve pagar nos seus rendimentos anuais e dividir por cada mês.

Por exemplo, se recebeu 50.000€ durante 1 ano, deve dividir 50.000 por 12, que corresponde ao número de meses existentes num ano. Pegue agora no valor da prestação que pretende pagar e divida pelo número que obteve na equação anterior, dando assim o número da sua taxa de esforço. Não se esqueça também de ter a certeza que é essa a casa que pretende adquirir.

Atenção às taxas e serviços

Quando um banco analisa a sua situação e o pedido de empréstimo, vai obter um spread para si. Para poder reduzir esse mesmo spread, pode sempre aceitar ofertas do seu banco que implicam outros contratos menores, como seguros e cartões de crédito. Faças as contas e veja se é melhor garantir um spread mais baixo, mesmo que para isso tenha que pagar por outros serviços, que costumam ser úteis, especialmente os seguros de saúde ou as poupança reforma. Antes de escolher compare também a Taxa Anual Efectivo sem qualquer tipo de bónus com a Taxa Anual Efectiva Revista, para saber se o que está a assinar é de facto vantajoso para reduzir o preço da mensalidade. Isso só é proveitoso quando a TAER é menor que a TAE. Esteja também atento se pode cancelar os serviços complementares sem que a taxa altere durante esse mesmo ano.

Resumindo, para fazer uma boa escolha tem que percorrer vários bancos e dar-se ao trabalho de anotar todas as ofertas e condições, e perceber que o que ganha por um lado, pode perder por outro. Escolha bem, pois é uma responsabilidade para toda a vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.