Como fazer um orçamento

Há duas coisas importantes que deve ter em conta se quer gerir com sucesso a sua vida financeira – o orçamento e a distribuição dos seus ativos.

Neste artigo, falaremos sobre como fazer um orçamento e os benefícios de ter um.

É fácil imaginar que um orçamento seria uma restrição ao seu modo de vida, mas isso é apenas o medo de algo que desconhece.

Um orçamento é apenas um plano de gastos, com as devidas prioridades aplicadas.

Não tem que haver restrições – a parte do monitoramento das despesas é a parte mais importante de tudo isto.

O benefício de ter um orçamento

Como fazer um orçamento

Fazer um orçamento é algo bastante mais simples do que possa pensar.

Tome nota de todos os seus gastos dos últimos meses (se conseguir reunir as contas ou se tiver uma boa memória) e faça o mesmo a partir deste momento.

Organize essas despesas em categorias e comece a pensar sobre como essas categorias se relacionam com a sua vida e com os seus rendimentos.

Por exemplo, pode criar categorias como despesas com automóvel, despesas com alimentação, despesas bancárias, despesas médicas, e muitas outras.

Algumas das suas despesas são fixas, como o crédito habitação, seguro automóvel e serviço de TV.

despesas

Mas, muitas outras podem variar um pouco, como despesas com restaurantes, entretenimento e viagens.

O que é importante sobre o orçamento é que agora estará a pensar sobre os seus gastos à medida que os faz.

Conforme acompanha os seus gastos, percebe que há categorias nas quais gasta mais dinheiro, enquanto noutras pode ficar até alguns meses sem gastar nenhum.

O que tem feito até agora é priorizar as suas despesas, mesmo que não o tenha feito de forma consciente.

Aquelas coisas onde gasta mais dinheiro são aquelas onde gasta mais da sua atenção, tempo e dinheiro, enquanto outras áreas estão a ser trocadas.

Até conseguir criar um plano de gastos para acompanhar as suas despesas, provavelmente não conseguirá perceber quais são realmente essas prioridades.

Por exemplo, se está a gastar todo o dinheiro que ganha ou até mais do que ganha, deve tomar atenção e tomar medidas para se preparar para alturas mais difíceis que possam vir a surgir.

Se este for o seu caso, precisa de identificar as categorias que são menos importantes para si e começar a cortar algumas das despesas para que possa criar uma poupança.

Talvez sejam as despesas com compras de roupas, com presentes ou com o combustível do seu automóvel.

Qualquer que seja a categoria ou categorias, está no controlo e pode tomar agora decisões mais informadas sobre quais são as suas prioridades e quais não são.

Comece por analisar as suas despesas consideradas fixas, crédito habitação, seguros, despesas de água e luz, etc.

Serão estas despesas realmente fixas?

É possível reduzir o custo do seu seguro automóvel?

Por exemplo, se não renova o seu seguro anualmente e o faz semestralmente, considere alterá-lo, pois pode custar mais na altura de renovação, mas conseguirá poupar dinheiro.

E sobre o seu crédito habitação?

despesas realmente fixas

Será que não existe outro banco que lhe consiga oferecer um crédito habitação com melhor taxa?

Tenha atenção com as penalizações do seu atual crédito se pensar em mudar para outro

E em relação às suas despesas de água e luz?

Será que não pode tomar um banho mais rápido ou desligar as luzes quando saí de uma divisão da sua casa?

Existe uma infinidade de maneiras de reduzir ou eliminar despesas consideradas fixas, assim como de despesas variáveis.

Cortar nas idas ao restaurante, utilizar os cupões de desconto que conseguir para ir fazer as comprar ao supermercado, comprar menos roupa (sejamos sinceros, de certeza que tem dezenas de peças de roupa que não utiliza à muito tempo), substituir o automóvel pelo autocarro, comboio ou metro e assim por diante.

A questão é que, a menos que acompanhe e anote os seus gastos, só consegue ter uma vaga ideia de quais são as suas prioridades.

Ao acompanhar os gastos, estará completamente consciente de onde está a colocar o seu dinheiro e até poderá decidir quais as categorias onde colocará mais do seu dinheiro.

O benefício de ter um orçamento

Como já mencionado em cima, uma vez que começar a anotar as suas despesas, estará em posição de entender e assumir o controlo dos seus gastos.

Quando antes pensava que todas as suas despesas eram importantes e necessárias, pode agora optar e focar-se nas suas prioridades.

Depois de organizar as suas despesas, pode planear como gastará o seu orçamento.

Posso afirmar que, se está conseguindo manter uma boa gestão financeira da sua vida sem qualquer tipo de plano ou acompanhamento de despesas, duas coisas acabaram por acontecer:

● Nunca conseguirá alcançar o equilíbrio de prioridades que espera alcançar na sua vida.

● Em algum momento, quando os seus rendimentos reduzirem, quer por perda de posto de trabalho ou por simplesmente se reformar, terá de elaborar um orçamento porque as suas despesas, sem um plano, serão maiores que os seus rendimentos.

A maioria das pessoas chega a este ponto na vida, e aqueles que dispensavam algum do seu tempo a tentar entender as suas despesas e a melhor forma de as otimizar, estarão numa posição muito melhor para fazer as mudanças necessárias.

A psicologia de um orçamento

Deve ter um orçamento” é uma mensagem que encontra por todo o mundo financeiro.

Talvez a palavra “orçamento” seja um ​turn-off para si, então, por favor, procure usar outra palavra, por exemplo “plano de gastos”.

Para muitos, orçamento é um método de tortura ou um método projetado exclusivamente para puni-lo pelos seus gastos.

Mas, sabia que o simples facto de acompanhar as suas despesas e receitas pode levar automaticamente a uma melhoria da sua situação financeira?

Se concentrar-se no monitoramento do seu orçamento, algo interessante irá acontecer.

Começará a perceber onde está a gastar o dinheiro e quanto dinheiro está a entrar como receita e, ao fazer isso, começará a tomar decisões que ajudarão a melhorar a sua situação financeira ao reduzir algumas dessas despesas.

Efeito Hawthorne

Parte disto pode acontecer devido a um princípio conhecido como Efeito Hawthorne, que foi um estudo feito numa fábrica que observou que existia uma melhoria da produtividade sempre que os trabalhadores sabiam que estavam a ser monitorizados.

Os responsáveis da fábrica aumentaram a iluminação da fábrica e a produtividade aumentava.

Em seguida, eles reduziram a iluminação e, novamente, a produtividade voltava a diminuir.

O Efeito de Hawthorne defende a ideia de que, se está a prestar atenção a algo, especialmente se estiver a prestar contas a outra pessoa, esse algo irá experienciar um melhoramento.

A sua responsabilidade pode ser com o seu marido ou mulher ou com qualquer outra pessoa.

Tem de entrar na mentalidade de prestar contas a alguém.

Quando tem algo que pode usar para comparar os seus resultados, um valor de metas de despesas mensais ou simplesmente o seu histórico passado, há uma tendência para, ao longo do tempo, se esforçar para melhorar.

Ter uma competição, uma espécie de jogo interno, pode ser útil para melhorar a sua situação financeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.