Aprenda a poupar dinheiro nos créditos

Escolher crédito

Apesar das más condições financeiras dos últimos anos derivados da crise económica, ainda é possível requisitar créditos de forma bastante simples e eficaz. Uma família tem bastantes dificuldades em conseguir sustentar demasiados créditos, por vezes necessários, sem chegar ao final do mês com o saldo negativo, daí ser importante poupar dinheiro nos créditos, especialmente na hora de escolher.

Você deve saber que os juros adjacentes aos créditos costumam ser bastante elevados no plano prático, e conforme se juntam a outros créditos anteriores, podem tornar-se insustentáveis, por isso tem de ponderar antes de avançar para um crédito, sendo a primeira medida para poupar, ter a certeza se precisa mesmo desse crédito ou daquilo que quer comprar com ele.

Se tem a certeza que é isso que quer, então o próximo passo será comparar as diferentes ofertas que lhe proporcionam o crédito. Existem alguns tipos de créditos que  se dividem em créditos pessoais, leasings, entre outros, e cada um deles tem vantagens e desvantagens. O mais importante é estar atento aos juros oferecidos, especialmente os da TAE (Taxa Anual Efectiva) que é o mais certo. Para isso, dê uma vista de olhos pelos seus bancos, e tente não cair no facilitismo das empresas de crédito, que são, em regra geral, os contratos mais simples mas também aqueles que cobram os juros mais altos e que são mais rápidos a actuar em caso de incumprimento.

Prefira a relação pessoal com o funcionário habitual do seu banco, que o poderá aconselhar no que toca a pacotes com ofertas de redução de juros nos créditos. Faça várias simulações e pense a longo-prazo, já contando com eventuais gastos inesperados que acontecem sempre. Se o que pretende comprar não é necessário a curto-prazo, opte por um plano poupança e verá que economiza bastante enquanto espera pela hora certa de fazer a compra.

Muitos optam pelo leasing, pois oferece outras vantagens em termos de prazos de pagamento, para além de juros mais baixos. É sempre uma boa opção na compra de algo que demore poucos anos a pagar, como o automóvel, podendo também recorrer ao crédito automóvel para isso, com ofertas de seguros contra todos-os-riscos e assistência, oferecido por alguns bancos na hora do crédito. Se a compra é pequena, o cartão de crédito é uma boa opção, especialmente se o contrato do cartão não incluir juros, como alguns bancos já o vêm fazendo nos últimos anos.

Se, pretende mesmo avançar com o crédito pessoal ao balcão do seu banco, opte pelos 48 meses de liquidação, conseguindo pagar assim prestações mais leves por mês, e garantindo que a taxa de juro é baixa. Na hora de fechar o contrato lembre-se de verificar se as ofertas que o banco oferece em conjunto com o crédito são realmente transparentes, e atente nos pormenores que lhe possam estar a escapar. Por vezes é melhor manter as coisas simples para poupar dinheiro e fazer o negócio sem nenhum componente, comprando apenas o crédito que realmente precisa, e pagando no menor número de meses possíveis.

Se pretende comprar uma casa, pode sempre seguir o caminho do crédito habitação, em vez do crédito pessoal, procurando pagar juros baixos e uma quantia reduzida por mês, durante mais anos, pois sendo esse um investimento para o futuro, será algo que vai ter retorno todos os meses enquanto amortiza o crédito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *