Ao que olhar na escolha de um crédito pessoal

Como escolher um crédito pessoal

Conseguir um financiamento tornou-se mais difícil e mesmo as alternativas disponíveis nem sempre são atractivas o suficiente para merecerem a atenção dos clientes. É certo que existem diversas hipóteses pelas quais enveredar mas há que saber escolher a indicada para se obter o melhor negócio com o menor risco, caso contrário poderá acabar por não compensar.

Um dos géneros de empréstimos favorito dos portugueses é destinado a titulares individuais. No entanto, mesmo esse tem registado uma queda acentuada nos últimos meses, em resultado da relativa retracção dos clientes e da notória diminuição das taxas de concessão. Ainda assim mantém-se na linha da frente dos produtos de reembolso a juros acrescidos mais concedidos, pelo que convém saber ao que olhar na escolha de um crédito pessoal. Nesse sentido, passemos agora em revista alguns dos aspectos a ter em conta antes de assumir qualquer compromisso desta natureza.

1. Despesas de abertura e custos iniciais

Preste bem atenção a este ponto, já que nem sempre é alvo do destaque necessário. Embora em determinadas circunstâncias representem uma percentagem reduzida do valor final, este tipo de gastos não será igual em todas as propostas de financiamento, havendo inclusive entidades que chegam a lucrar tanto ou mais neste particular do que nos juros propriamente ditos. Por isso, informe-se acerca da importância concreta das despesas de abertura e custos iniciais na mensalidade que irá pagar.

2. Taxas de juro

É um aspecto fundamental em qualquer empréstimo mas ganha especial relevância no crédito pessoal devido ao facto de ser habitualmente mais elevado. Além disso, poderá induzir em engano quando não se tem a devida atenção, pois muitos financiamentos anunciam prestações baixas ocultando, porém, durações prolongadas de reembolso, o que resultará em mais tempo a pagar juros, logo, uma despesa superior feitas as contas à extensão de prazos. Saiba como comparar propostas de crédito.

3. Adesão a outros produtos e serviços

Por vezes as entidades credoras oferecem reduções de custos se o cliente subscrever produtos ou serviços adicionais. Em algumas situações compensará ponderar essa opção (por exemplo, se necessitar do que está a ser proposto) mas em outras nem tanto. Faça uma avaliação das vantagens/desvantagens e determine se é benéfico para si. Não se deixe levar pelas prestações mais reduzidas se vai ter de pagar os valores em falta com a subscrição de seguros e afins.

4. Amortizações antecipadas

Não assine qualquer contrato sem conhecer as condições de amortização antecipada, pois se eventualmente tiver ocasião de liquidar mais cedo uma parcela do valor em dívida certamente vai querer efectuá-lo sem que saia prejudicado. Por isso, certifique-se das condições previstas para a amortização do seu crédito pessoal e tenha consciência de que o poderá fazer no futuro, livre de problemas ou penalizações desproporcionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *